sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Limtes do amor



Limites do Amor
Condenado estou a te amar
nos meus limites
até que exausta e mais querendo
um amor total, livre das cercas,
te despeça de mim, sofrida,
na direção de outro amor
que pensas ser total e total será
nos seus limites da vida.
O amor não se mede
pela liberdade de se expor nas praças
e bares, em empecilho.
É claro que isto é bom e, às vezes,
sublime.
Mas se ama também de outra forma, incerta,
e este o mistério:
- ilimitado o amor às vezes se limita,
proibido é que o amor às vezes se liberta.

Affonso Romano de Sant'Anna

3 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Muito bem escolhido este poema de Affonso Romano!
tenha um lindo final de semana
beijos

Si Wasabi disse...

Adorei esse poema e o seu blog!
bjs.

EDUARDO POISL disse...

Hoje passando para te ler e desejar um lindo final de semana com muito amor e carinho

"É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar.
É melhor tentar, ainda que em vão, que sentar-se fazendo nada até o final.
Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias tristes em casa me esconder.
Prefiro ser feliz, embora louco, que em conformidade viver..."
Martin Luther King

Abraços com todo meu carinho

Related Posts with Thumbnails