domingo, 27 de dezembro de 2009

Receita de ano novo



Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)


Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.


Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drumond de Andrade

Esse poema é um presente da amiga e poeta Sônia Schmorantz

http://schsonia.blogspot.com/

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Então É Natal




Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, do amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Então é Natal, pro enfermo e pro são.
Pro rico e pro pobre, num só coração.
Então bom Natal, pro branco e pro negro.
Amarelo e vermelho, pra paz afinal.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Então é Natal, o que a gente fez?
O ano termina, e começa outra vez.
E Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, o amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Harehama, Há quem ama.
Harehama, ha...
Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Hiroshima, Nagasaki, Mururoa...

É Natal, É Natal, É Natal.

Simone

sábado, 19 de dezembro de 2009

Não diga nada



Olha prá mim
Não diga nada
Nos teus olhos
Vai nascer
A madrugada...

Sonha prá mim
Um sonho lindo
Nos seus olhos
Vejo um filme
Colorido...

O momento de esquecer
Esse mundo absurdo
Mas não pense que
Eu fico mudo
Por não ter razão...

Não diga nada
Talvez eu encontre
O caminho
Não diga nada
Entre nós não existe
Segredo
Não diga nada
Deixe o vento
Varrer as palavras
Olha prá mim...

Olha!

Fábio Jr.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Pedaços de mim



Eu atirei sentimentos
pelas calçadas das ruas,
pelas ruas das cidades,
pelas cidades dos tempos...

Jogo fora o passado,
limpo minha mente,
abro meu coração
e lavo minha alma.

Não recomponho em mim
pedaço algum do destino,
não rebusco retalhos de alma,
nem junto cacos de sentimentos.

Não devo, ninguém deve,
transformar espírito em matéria.
Faço o contrário:
transformo matéria em espírito.

Se assim não for,
os resultados de minha alma
e os cacos de meus sentimentos
serão pedaços de mim!

Abel Pereira

terça-feira, 15 de dezembro de 2009




Saberás que não te amo e que te amo
posto que de dois modos é a vida,
a palavra é uma asa do silêncio,
o fogo tem uma metade de frio.

Eu te amo para comerçar a amar-te,
para recomeçar o infinito
e para não deixar de amar-te nunca:
por isso não te amo ainda.

Te amo e não te amo como se tivesse
em minhas mãos as chaves da fortuna
e um incerto destino desafortunado.

Meu amor tem duas vidas para amar-te.
Por isso te amo quando não te amo
e por isso te amo quando te amo.

Pablo neruda

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Valsinha




Um dia, ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar
Olhou-a de um jeito muito mais quente do que sempre costumava olhar
E não maldisse a vida tanto quanto era seu jeito de sempre falar
E nem deixou-a só num canto, pra seu grande espanto, convidou-a pra rodar
E então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar
Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça, foram para a praça e começaram a se abraçar
E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou
E foi tanta felicidade que toda cidade se iluminou
E foram tantos beijos loucos, tantos gritos roucos como não se ouvia mais
Que o mundo compreendeu
E o dia amanheceu
Em paz
Chico Buarque

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009



A verdade de outra pessoa

não está no que ela te revela,

mas naquilo que não pode revelar-te.

Portanto, se quiseres compreendê-la,

não escutes o que ela diz,

mas antes, o que não diz.

Sintonias do Coração

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Beijo de poeta




Beijo de poeta
vem como brisa suave,
como gota de orvalho
tocando a flor ao amanhecer,
Beijo de poeta
vem como onda lambendo
areia do mar...
num fim de tarde de verão!
Beijo de poeta
Toca o céu estrelado
de uma boca quente
ardente, carente...
Beijo de poeta
tem um quê de mágica,
uma elevação ao mundo
dos sonhos, onde almas
se encontram...
Beijo de poeta
é um beijo em Latim:
basium..romântico
saevium, delicado
Beijo de poeta
é divino, gracioso
terno e carinhoso
Beijo de poeta
desperta desejos
provoca lampejos..
Beijo de poeta
É prêmio e castigo
Relâmpago em dia de temporal
Não tem censura
É pura loucura
Sabores mis
Confudem-se
Embriagam e
sempre se quer bis!!

por Meire Jorge

nas cinzas que sou



quando tu não estás
o mundo se ausenta
sobrando a despedida
de tudo que é meu,
levas os meus sonhos
na memória desfeitos
daquela felicidade
que nunca atingi,
nas cinzas que sou
deixas desesperos,
ventos delirantes
que não assoprei.


http://poetaeusou.blogspot.com/

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Se eu pudesse...



Pudesse eu, meu amor...
Ser o doce aroma dos sonos teus.
Perfumaria teus sonhos com pétalas douradas!
E dar-te-ia no acalanto da madrugada...
Um céu cheio de brilhantes,
para iluminar teus lindos olhos...
E depois, deixar-te-ia...
Na certeza que eu amo você.!

Ah, se eu pudesse...

Guto Lopes

...minha Cama!



Teus sinais deixam-me assim..
mergulho em lençois de cetim
atentos, encarnados, gelados
na cor de carmim!
Envolvo-me em tua maciez
um aconchego convidativo,
em muitos dos instantes
mágicos que vivo
sombreada de silêncio
ao negrito da ausência...
Incomoda-me o presente,
sonhos cinzentos ou coloridos
roubam-me a calma
incendiando emoções
amores , medos
choros sem fim
silenciosa, guarda nas entrelinhas
meus misterios e segredos
ao respirar do meu dormir
contando carneirinhos
até a luz acordar-me,
nua ...despida das máscaras
restos de nada...migalhas,
és um enigma
me tira os pés do chão
me devora!

por Meire Jorge

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

você em mim



O tempo...sempre o tempo!
será que ele passou?
ou passei por ele...
na memória lembranças sobrevivem
a terremotos, furacões,
maremotos, ilusões
sem força suficente
para apagar um amor caliente...
Te vejo agora, frente a frente,
colado em mim, tão perto
e distante assim...
Posso sentir através do teu olhar
o toque das tuas mãos,
o calor da tua pele, do teu corpo
percorrendo minhas veias,
tua boca respirando no meu pescoço
teu sorriso...
...um aperto bem no peito
uma pressão, que me queima
feito fogo de dragão!
Por tantas vezes te vi chegar,
por outras tantas te vi ...partir
e o destino.....atrai
enlaça, amarra com nó cego
para que não se consiga
desatar, afrouxar, separar...
corpos do mesmo barro
almas com a mesma luz...
o universo nos ouve
e a vida quis assim...
você longe de mim!

por Meire Jorge

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

......




E de novo acredito que nada do que é
importante se perde verdadeiramente.
Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas,
dos instantes e dos outros.
Comigo caminham todos os mortos que amei,
todos os amigos que se afastaram,
todos os dias felizes que se apagaram.
Não perdi nada,
apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."

Miguel Sousa Tavares

domingo, 29 de novembro de 2009

EU .....



Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada... a dolorida...
Sombra de névoa tênue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...
Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber porquê...
Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou!

Florbela Espanca

sábado, 28 de novembro de 2009

distante demais



Se me chamar
e eu não te escutar
Se tentar me acompanhar
e os passos não me alcançarem
não se assuste
é que corro atrás do tempo...
Tempo que era lento
e mesmo assim, distante ficou
só um silêncio dentro do coração
me mostra  a direção
e viajando vou
percorrendo o mundo
voando sobre um tapete mágico!

por Meire Jorge

Poema


    


Eu hoje tive um pesadelo
E levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo
E procurei no escuro
Alguém com o seu carinho
E lembrei de um tempo

Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era ainda criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou consolo

Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei, nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via o infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim
E que não tem fim

De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
  Morna e ingênua que vai ficando no caminho
     Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
                  Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás

                                                                  Cazuza

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Por um lindésimo de segundo



tudo em mim
anda a mil
tudo assim
tudo por um fio
tudo feito
tudo estivesse no cio
tudo pisando macio
tudo psiu

tudo em minha volta
anda às tontas
como se as coisas
fossem todas
afinal de contas

Paulo Leminski

domingo, 22 de novembro de 2009

Amar é...



Uma canção...
um amor...
uma emoção...
Como no albúm de figurinhas
"Amar é..."
Lado a lado coladinhas
pedaços desordenados
passos desencontrados
versos sem rima
parados na esquina
de um mundo mágico!
Tudo em volta é passado
páginas amareladas
folhas soltas, perdidas
Tentamos em vão,
colocá-las em seus lugares,
elas não colam mais não!
São apenas lembranças
de um sonho de verão!

por Meire Jorge

Beija-flor



Por vezes acreditei
que teus lindos versos eram só para mim
mais uma vez me enganei...
janelas e portas sempre entreabertas estão,
para um jardim florido, colorido...
sou apenas instrumento
criado, imaginado
para  pura e simples inspiração
onde palavras mágicas
gorgeiam, encantando
corações!

por Meire Jorge

Soneto da Separação





De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

Vinícius de Moraes

sexta-feira, 20 de novembro de 2009



Quero aliviar o meu cansaço
Na ternura do teu abraço
E esquecer a solidão.
Recompor as forças perdidas
Nas labutas intensas da vida
No aconchego do teu coração.
Buscar nas fontes do amor
O teu carinho que mitiga a dor
Das lutas duras da vida.
Dá-me o teu afetuoso abraço
Que mitiga todo o meu cansaço
E alegra a alma e o coração.
Quero ver no teu semblante
A alma feliz de todo o instante
Que partilhamos todos os dias.
A tua voz que bem conheço
Afastará o mal de que padeço
E trará paz ao meu coração.
Nas janelas da sua alma
Vejo toda a doce calma
Que reina no seu interior.
Embala-me no teu regaço
Perdoa-me o meu fracasso
E me chama de meu amor.
Só assim me tranqüilizo
Sinto-me em pleno juízo
E me acalma o coração.

Narciso de Oliveira

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A última flor...



Se me pergunto
por quem espero?
são razões ocultas
que se prendem
à inercia dos meus movimentos
mesmo assim continuo sentada na
esquina esperando
Sinto teu vento distante, errante
por quem espero?
contando o tempo.. os instantes
Conto as horas e volto ao tempo
sou sombra do que sou
Sou assim, meio não, meio sim!
perdida no vazio que ficou...
espero, no banco da praça
hipnotizada pelo perfume
da flor que restou...

por Meire Jorge

Quebra-cabeça



Era incrível, ele picotava as cartas e ela costurava
Ele rasgava as roupas e ela costurava
Impressionantemente, ele tudo fez
Para desmanchar seus batons, suas jóias, suas saias
E de tanto ele quebrar louças, janelas e espelhos
Nela rachou algo "irremediável"
Desesperado sem saber como se fazia
Tentou juntá-la em pequenas peças
Mas no desenho formado ficou faltando
Uma bem no meio, do lado esquerdo
E para preencher singelo espaço
Eles se pôs numa peça torta, desfigurada
Foi a única que conseguiu formar
Dos pedaços em que se partiu.

LARA AMARAL

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Ilusões




Já falei pro coração
que tudo na vida é ilusão,
basta sonhar....fechar e abrir os olhos...
Amar, crer, viver!
Mas, de repente, vem o tal do destino
e diz pro coração que amar não é ilusão...
esse tal de amor nasce de mansinho
espalha-se por inteiro
alegrando, entristecendo adoecendo...
e triste encolhe-se num cantinho...
envolvendo-se em pequenas camadas...
cauterizando-se...
e a gente segue buscando em outros olhares
em outros beijos...em outros corpos...
Amores chegam, amores vão....
e no cantinho ocupado não conseguem entrar não!!
São só ilusões....ilusão...
e ele atravessa o tempo em silêncio,
alimentando-se das lembranças e esperanças
defendendo-se do tempo
insistindo em voltar à mente
mesmo que dado por morto e enterrado...
protegendo-se,  esperando que o destino
tire enfim as máscaras
vença o tempo e...
 dispa-se das ilusões!!!

por Meire Jorge

           
           eu quero um amor tranquilo,
            intenso.
            uma seriedade que não se percebe,
            alguma coisa que se negue
            à estupidez barata,
            à rebeldia insensata...
                                               quero um silêncio
                                               não pedido,
                                               mas feito sob consenso.

                                               quero um amor de verdade,
                                               bem humilde,
                                               mas com vaidade de amor...

                                               que não se perde,
                                               que não se ganha.
                                               um amor que acontece
                                               sem que eu precise de preces...
                                               sem comprar, sem doar,
                                               sem escambo ou barganha.
                                               eu quero um amor sem medos
                                               mesmo se escondido do mundo,
                                              .mesmo se em segredo...
            um amor sem balburdia ou contestação.
            um amor exato – que importa a contramão?
            e ser feliz com este amor
            como um pecador não preocupado
            com a redenção.

daufen bach

segunda-feira, 16 de novembro de 2009



De pequenos desejos,
vagarosas saudades,
silenciosas lembranças.
Entre mágoas sombrias,
momentâneos lampejos,
vagas felicidades,
inatuais esperanças.
De loucuras,de crimes,
de pecados, de glórias,
- Do mundo que encadeia
todas essas mudanças.
Dentro deles vivemos,
dentro deles choramos,
- Em duros desenlaces
e em sinistras alianças.

Cecília Meireles

domingo, 15 de novembro de 2009



Bem sei que, muitas vezes,
O único remédio
É adiar tudo. É adiar a sede, a fome, a viagem,
A dívida, o divertimento,
O pedido de emprego, ou a própria alegria.
A esperança é também uma forma
De continuo adiamento.
Sei que é preciso prestigiar a esperança,
Numa sala de espera.
Mas sei também que espera significa luta e não, apenas,
Esperança sentada.
Não abdicação diante da vida.

Cassiano Ricardo

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Há Momentos




Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.

Clarice Lispector
Imagem: Edson Ribeiro
Lagoinha do Leste -Fpolis- SC

quinta-feira, 12 de novembro de 2009



As rosas têm colorido meus caminhos....perfumado meus dias....acariciado minha pele...enquanto espero!

por Meire Jorge

um pefume no ar



Recolher o perfume
das rosas plantadas
De passagem
ou não.....o certo
parece as vezes
tão incerto...
Por certo é real
esse odor agradável
dessa rosa em especial...
que  espalha-se
pelos cantos...encantados
por amores
à primeira vista
Significados sutis,  mortais
...temporais
Será possível
sentir o perfume de uma ilusão?
Real é o que se tem então.....
Pétalas aveludadas
uma de cada  coração...
total doação!
Em cada uma ficará gravada
Amor, gratidão
consideração
Incomensurável prazer
de ser mortal
imortal!
por Meire Jorge

para meus alunos do CEJA.....com carinho e desejo de muito sucesso a todos

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Canção do amor perfeito





O tempo seca a beleza, seca o amor, seca as palavras. Deixa tudo solto, leve, desunido para sempre como as areias nas águas. O tempo seca a saudade, seca as lembranças e as lágrimas. Deixa algum retrato, apenas, vagando seco e vazio como estas conchas das praias. O tempo seca o desejo e suas velhas batalhas. Seca o frágil arabesco, vestígio do musgo humano, na densa turfa mortuária. Esperarei pelo tempo com suas conquistas áridas. Esperarei que te seque, não na terra, Amor-Perfeito, num tempo depois das almas.
Cecilia Meireles

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Doce viagem




Calado
abusado
me olha
me despe
endoidece...
me toca
me beija
a boca
me deixa louca
arrepio
frio
lençol macio...
doce viagem
só de passagem!

por Meire Jorge

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Aniversário I



Um aniversário a mais...
o que dizer?
tenho só a agradecer!
e o meu pedido....hummm
ahh, o meu pedido...
é um só....que eu viva
muitos anos com saúde
e se possível com a vida
do jeitinho que ela tem sido....
sempre com muitas surpresas
ora boas...ora nem tanto!
amores, amigos
em preto e branco ou colorido
ao meu lado sempre estão
soprando bolas de sabão
transparentes...opacas
brilhantes.....
sendo amada
amando
comemorando tantas vidas
vividas em uma única!

Meire Jorge

domingo, 8 de novembro de 2009

Promessa de amor eterno



De todos os amores por mim vividos até hoje,
o seu foi o mais intenso.

De todas as almas,
a sua foi a mais gêmea.

De toda a vontade de ficar junto,
a vontade que me domina é a sua.

De toda ânsia de cometer loucuras,
a sua foi a que mais me atentou.

De todas as esperanças em amores depositadas,
o seu foi o que teve mais crédito.

De toda a saudade,
a sua foi a mais forte.

De todos os beijos,
o seu foi o mais gostoso.

De todo calor,
o seu foi o mais ardente.

Por isso de todos os amores eternos por mim
prometidos, o seu será o único cumprido a risca.

 (autor desconhecido)


"As coisas mais belas são ditadas pela loucura e escritas pela razão"
André Gide

Mais um dia teve o fim




Mais um dia, que teve o fim,
outra noite sem te ver,
sempre teima em ser assim,
mas o que é que hei-de fazer?
.
São os meus sonhos voando,
em volta de ti, com ternura,
só não te vejo... e até quando?
Assim, é a minha amargura.
.
Ainda não perdi a esperança,
de que nos vamos encontrar,
quero manter-me em confiança.
.
Dum dia pleno de amar,
beijar teu corpo e na dança,
muitos verbos conjugar.
.

JOÃO MORGADO

Para seus olhos.....



sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Limtes do amor



Limites do Amor
Condenado estou a te amar
nos meus limites
até que exausta e mais querendo
um amor total, livre das cercas,
te despeça de mim, sofrida,
na direção de outro amor
que pensas ser total e total será
nos seus limites da vida.
O amor não se mede
pela liberdade de se expor nas praças
e bares, em empecilho.
É claro que isto é bom e, às vezes,
sublime.
Mas se ama também de outra forma, incerta,
e este o mistério:
- ilimitado o amor às vezes se limita,
proibido é que o amor às vezes se liberta.

Affonso Romano de Sant'Anna


Eu sei: sou outra nesta embriaguez!
Universo a girar gi-ran-do, olhos também.
O úmido provado acima da vontade,
À flor da pele os arrepios vividos!
Os lábios se imantando em tantas partes,
Anestesia da realidade, em flor aberta.
No céu da boca, fogos de artifício explodem.
Tênue subir pela paixão das bocas!
Viver para sempre assim estes momentos
Sentir como jamais aquela dor em sonhos,
Trocar ternuras por atrevimento.
E beijos ... beijos ... beijos! Continuar beijando;
Até que, neste envolver de almas sedentas,
Eu consiga sorrir, chorar, enquanto amo!

Conceição A. Giacomini Soares

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Heresias



Eu escolhi...
Escolhi viver em demasia
Escolhi amar em desmesura
Escolhi rastejar-me num chão de lama
aceitando minha condição humana
Escolhi pastejar nos verdes vales da esperança
Alimentar-me desse vazio calórico
carente de nutrientes
Eu escolhi...
Escolhi andar sobre o fio
O fio da teia da aranha
Escolhi lançar-me nos braços de quem me arranha
E comprar uma briga onde
ninguém perde, ninguém ganha.
Escolhi também dançar...
Dar piruetas e cambalhotas no olho do ciclone
Escolhi ditar o ritmo
E conduzir o vento a bailar sob meus passos
Eu escolhi nadar...
dar braçadas desesperadas
num rio raso e calmo,
E no meio do maremoto,
Sob intensa tempestade
Diante de raios, trovões e tsunamis...
Escolhi boiar.
Eu escolhi correr...
Hora, ao encontro do desconhecido
Hora, correr do que é sabido
E nesse vai-e-vem alucinante...
Escolhi cair
Escolhi tropeçar em meus sonhos
para no futuro olhar minhas cicatrizes
e lembrar que um dia fui capaz de sonhar
Eu escolhi, por fim, acreditar em Deus
E essa foi a minha maior heresia
Mas diante de tamanha liberdade
O que me machuca é saber
que eu nunca pude
nem nunca, um dia vou poder
Escolher não escolher.

Thiago Paim


Um dia percebemos que o comum não nos atrai... Um dia saberemos que ser classificado como bonzinho não é bom... Um dia saberemos a importânciada frase: Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas... Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso... Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mais ai já é tarde demais... Enfim... Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem de ser dito... O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutarmos para realizar todas as nossas loucuras...Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.

 Mário Quintana

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

A pracinha





o beijo na pracinha
de árvore frondosa,
banquinho de madeira
e sombra magestosa,
a noite escurinho
amigo ocultando
dos curiosos
abraços gostosos...
namorados de mãos dadas
passeando pelas calçadas
ao toque das  mãos
 corpos arrepiam,
o envolvente beijo
 desarma e, entregue
às carícias a alma flutua...
o vento a soprar....
 gotas de chuva a apagar
chama ardente
pungente
que arde através
do tempo...
de testemunha
só a lua!
Basta fechar os olhos
para voltar
e namorar
ouvindo a musica
na pracinha
daquela cidadezinha
que não mais existe
nunca mais!!

por Meire  Jorge



terça-feira, 3 de novembro de 2009

Alma



Alma estranha esta que abrigo,
Esta que o Acaso me deu,
Tem tantas almas consigo,
Que eu nem sei bem quem sou eu.
Jamais na Vida consigo
Ter de mim o que é só meu;
Para supremo castigo,
Eu sou meu próprio Proteu.
De instante a instante, a me olhar,
Sinto, n’um pesar profundo,
A alma a mudar... a mudar...
Parece que estão, assim,
Todas as almas do Mundo,
Lutando dentro de mim...

Raul de Leoni

Eu - modo de usar


Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir.
Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar.
Acordo pela manhã com ótimo humor mas.... permita que eu escove os dentes primeiro.
Toque muito em mim e me beije o tempo todo.......minta sobre minha nocauteante beleza.
Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não
conte piadas e nem seja preconceituoso......
......Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa.
Respeite meu choro, me deixe sozinha, só volte quando eu chamar e, .....não me obedeça ...... eu também gosto de ser contrariada....( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?)
Seja mais forte que eu e menos altruísta!
Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e
muito de pescoço.
Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, pelos e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes.....
Leia, escolha seus próprios livros, releia-os...
Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos.
Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste.
Não seja escravo da televisão, nem xiita contra.
Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha
sido preenchido e o invente muitas vezes.
Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em
tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca....
Goste de música e de sexo. goste de um esporte não muito banal.
Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois.... se calhar...
Deixa eu dirigir o seu carro, sua moto, ou o que você adora.
Quero ver você nervoso, inquieto, não olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos.
Me conte seus segredos... me faça massagem nas costas....nos pés
Me dê muitos mimos, dengos, carinhos, atenção.....me ouça e dê sua opinião....
Não fume, não beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte!
Se nada disso funcionar.... experimente me amar!!!

adaptação do texto  de Martha Medeiros

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Por que diz me amar?



Por que  diz me amar?
o que há ainda em  mim
que te faz agir assim?
Quase nada restou...
o que havia, o vento levou...
Apenas um poço, fosso
oco, vazio ficou!
Gosto de sair sem rumo
parar onde der vontade
admirar o sol nascente e poente
sem ter hora para voltar
não há noite, nem dia
nem chuva, nem má companhia
nem dores, desamores,
rancores...nem tão pouco
amores.....Apenas lembranças!
Versos, lindos versos
a me acompanhar...
Por que diz  me amar?
se ao meu lado
desejavas um outro
alguém encontar?

por Meire Jorge

Querer e ter



Esse súbito não ter
Esse estúpido querer
Que me leva a duvidar
Quando eu devia crer
Esse sentir-se cair
Quando não existe lugar
Aonde se possa ir
Esse pegar ou largar
Essa poesia vulgar
Que não me deixa mentir.

Leminski

Na gangorra da vida!



Perdão,...desculpas...
diferentes pessoas...
...engatinhando pela vida!
Juras e juras aceitas
irrealizáveis....mal feitas
Bem dizia minha tia
"gato escaldado tem
medo de água fria"
ciclo vicioso,
muda-se tudo
e tudo se repete
Crer no impossível
desejo inatingível..
apenas desejos
de um coração
iludido, contundido
altos e baixos
quedas, dores
amores!

por Meire Jorge
Related Posts with Thumbnails